O lugar dos Exercícios Espirituais nas Congregações Marianas

O lugar dos Exercícios Espirituais nas Congregações Marianas

Envolvidos pela alegria de celebrar 80 anos de fundação da Confederação Nacional desejamos propor uma breve reflexão sobre a relação das Congregações Marianas e a espiritualidade inaciana na atualidade.  Historicamente, há notícias de que já existiam, desde o século XV, iniciativas de grupos com estilos de confrarias ou associações que se reuniam para práticas piedosas e afervoramento da vida cristã.   No caso das Congregações Marianas, conhecemos bem o embrião que deu origem a sua caminhada: um grupo de jovens alunos que, motivados pelo padre jesuíta Jean Leunis (1532-1584), reuniam-se ao fim das aulas vespertinas para os exercícios de piedade (1563). O Pe. Jean Leunis esteve com Inácio de Loyola em 1556 antes de entrar na Companhia de Jesus, mesmo ano em que morreria o fundador da Ordem. Além deste grupo no Colégio Romano, Leunis animou e incentivou o surgimento de outros com os mesmos propósitos. Difundiam-se assim, as Congregações Marianas.

Se as Congregações Marianas são frutos do trabalho e carisma da Companhia de Jesus é fácil compreender que carregam traços próprios do estilo dos filhos de Santo Inácio. Daí os elementos de missionariedade, comunhão com a Igreja, piedade mariana e prática dos exercícios espirituais, características que forjam e estruturam uma autêntica Congregação Mariana. Este último elemento é o objeto sobre o qual queremos discorrer neste artigo.

Os Exercícios Espirituais, experiência fundante e transformadora vivida por Inácio e partilhada pelo mesmo, foram mola propulsora para a fundação da Companhia de Jesus. A aplicação dos Exercícios por Inácio e pelos primeiros companheiros que fundaram a Companhia, a muitos converteram, indicando um caminho de seguimento do Cristo. Bebendo na fonte dos Exercícios, foram formuladas as Constituições da Ordem, foram elaboradas as bases da Ratio Studiorum (conjunto de normas que regulamentava a prática pedagógica dos ensinos nos colégios da Companhia). E, sem dúvida alguma, desta mesma fonte, surgiram as Congregações Marianas. Temos um precioso tesouro que, além de remontar a história de nossos primórdios é ferramenta eficaz que nos permite “buscar e encontrar a vontade de Deus na disposição de nossa vida para nossa salvação” (cf. EE 1).

Quando o título desta matéria refere ao lugar dos Exercícios Espirituais nas Congregações Marianas deseja lançar uma provocação que realmente, nos faça analisar sobre o espaço que nossos grupos e que cada congregado e congregada oferecem à espiritualidade inaciana em suas caminhadas.

Entendemos que há, pelo menos, duas formas de relacionar-se com a espiritualidade inaciana nas Congregações Marianas. A primeira é fazendo dela um mero dado histórico ou um simples objeto de orgulho ao apresentar a Congregação Mariana como uma associação que tem como um dos pilares os Exercícios Espirituais porque fundadas pelos jesuítas. Ou seja, algo que existe, está lá, até me causa orgulho, enaltece o meu grupo, mas não faço questão de utilizar. A segunda forma consiste no acolhimento da proposta dos exercícios espirituais como aquilo que eles são para a vida da Igreja e para todos os congregados e congregadas: escolas de vida, oração e discernimento. Não é possível viver a autêntica experiência da vocação de congregados e congregadas marianos sem o itinerário dos exercícios espirituais que nos ajudam a discernir e conhecer o melhor modo de compreender o que Deus nos chama a realizar a partir do cultivo de uma vida interior, mobilizando-nos a uma dinâmica de intimidade e sintonia com o projeto do Pai, configurando-nos com a pessoa de Jesus Cristo e engajando-nos na construção do Reino.

Portanto, as Congregações Marianas devem dar aos Exercícios Espirituais lugar privilegiado em suas vidas, reconhecendo neles uma prática que fomenta e vitaliza a missão a qual Cristo nos chama. Para tal, valorizemos os retiros, os dias de oração inaciana, a possibilidade de fazer o EVC (Exercícios na Vida Cotidiana), a meditação diária da Palavra de Deus e o exame diário (cf. EE 43). Torna-se importante cultivar nos encontros das Congregações Marianas, nas reuniões e demais momentos, a temática dos Exercícios Espirituais, facilitando e estimulando o acesso de todos à espiritualidade inaciana.

Os Exercícios Espirituais nos indicam um caminho de oração e produzem em nós verdadeiro gosto pela oração. Assim, gradativamente, vamos percebendo que o nosso olhar sobre a vida, as coisas, o mundo e sobre nós mesmos fica mais cristificado. Aos poucos, transformamos nossa vida em oração e nossa oração em vida. Isto faz grande diferença, tendo em vista, que “somos missionários, por Cristo convidados para construir seu Reino”.

Santo Inácio, confiante na intercessão da Mãe, certa vez, suplicou: “Mãe, coloca-me com teu Filho”. Expressava um desejo forte e generoso de caminhar com o Senhor. Seja esta a nossa prece. Que Maria nos ajude no seguimento do Cristo e que a Confederação Mariana seja fiel a sua missão de congregar na unidade e na fé todas as Congregações Marianas do Brasil, sendo solícita para com todas e incentivadora da espiritualidade inaciana.

  Jonas Leandro Moreira Diego

CM N. Sra. Conceição e S. Vítor

Arquidiocese Rio de Janeiro / RJ

1 Comentário

Enviar Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *