Apreço a Liturgia

Apreço a Liturgia

O congregado deve manter um indistinto apreço pela Sagrada Liturgia por ver nela um desdobramento do “sentir com a Igreja” – juramento jesuíta tão característico dos filhos de Santo Inácio de Loyola, onde também são incluídos os congregados marianos. “Apreço a liturgia” no sentido de uma correta execução os gestos e posições assinaladas nos diversos oficios, nas respostas firmes, bem como no sentido real de tudo o que aquilo significa e simboliza. Rubricista é o nome dado àquele que segue com afinco quase fanático ao que diz as rubricas do Missal Romano. O congregado não é um “rubricista”, no sentido extremo da palavra, mas procura estudar e aprender o que recomenda a Sagrada Instrução sobre algum ofício: é mais zelo pelas coisas de Deus do que outra coisa. Por vezes temos a sensação de estarmos em uma Igreja seccionada em várias “pequenas igrejas”, numa deturpação do que o Sagrado Concílio chama de “Igreja Particular”. Quem de nós não teve a desagradável surpresa de participar de uma Santa Missa em uma Paroquia onde o celebrante comete deslizes litúrgicos vexaminosos e – pior – ordena que todos os participantes façam o mesmo? Com um correto aprendizado por parte do congregado – e para isto muito auxilia uma formação litúrgica “romana”, isto é, “imparcial”, nas Congregações Marianas – fará deste mariano um exemplo perante os demais cristãos que também participam da celebração. E não precisara de muito para se fazer sentir um saudável influencia no ambiente, evitando “choques” desnecessários. Uma boa instrução na Congregação Mariana leva sobretudo aos moços a uma atitude firme perante a Sociedade para que se possa não somente...